30 de junho de 2010

O que passou, passou.

Estava triste, sei que não deveria, sei que não há motivos reais, sei que você não mereçe.
Mas não consigo evitar, não é proposital, não choro por gosto, choro de saudades, choro de tristeza, choro por falta de ter alguém pra me ajudar.
Me sinto só, mas não estou sozinha, porque você não está aqui, mas tenho outros com os quais posso contar, me sinto só, mas sei que isto é só fisicamente falando, porque tenho com quem contar em todos os momentos de minha vida.
Não entendo também, o motivo de me sentir só, a todo momento surgem pessoas que tornam-se importantes em minha vida, importantes na minha construção, não é o suficiente, ainda não tapa o buraco que ficou em meu peito, mas é bom saber que você não faz mais parte de mim, de minha história amorosa, tenho sorte de ainda contar com você ao menos como amigo.
Não te quero mais como um dia quis, não faz mais diferença, quase não sinto falta, o peito ainda dói, mas desta vez, é de saudade, pelas conversas e brincadeiras que faziamos.
Sinto falta de te ver, de saber que não estou sozinha por aqui, saber que alguém se importa comigo. Mas veja só!
Já não preciso de você pra ter estas coisas, encontrei outras pessoas que estão dispostas a me amar do jeito que sou, sem alterações, estas pessoas descobriram que tenho sim valor apesar de meu jeito meio estúpido de ser. Para sua, ou talvez minha felicidade, eu descobri que posso ser mais eu, que não necessito de caridade pra ser feliz, que sou sim alguém de valor ainda que sem você.
Sinto sua falta sim, mas não como antes, não dependo mais de você, descobri que dependo única e exclusivamente de Deus, não devo ou aguardo nada de mais ninguém, se me amam, ótimo, amo também, se não, adeus amor, não sou sua, sou de Cristo não preciso de você, o amor maior está naquele que deu sua vida por mim.
Não preciso de você, você é um, Deus é tudo e todos, posso encontrar Ele em todos os lugares, desde árvores e flores a coisas mais diárias, o vento que sopra, a brisa que leva seu perfume para longe de mim, que é a mesma brisa que tras o cheiro de novos tempos, nova vida, nova criatura, aquela que descobriu seu valor, aquela que descobriu seu propósito, sua razão de viver, sua missão, ser feliz.
Agora estou feliz, descobri que sou sim útil, minha estima entre meus amigos está melhor, minha relação com a família mais equílibrada, continuo sentindo falta, mas agora não te vendo como ficante ou paixonite, mas sim do amigo, que gradualmente fui perdendo. Espero que um dia recobremos a amizade, ainda que pouco contato, ainda que poucos minutos de conversa, mas que eu saiba que você conta comigo, tanto quanto um dia eu contei com você.
Te amo, hoje não mais como homem apenas, mas como o amigo que você sempre foi.

Isabela Aguiar

Nenhum comentário:

Postar um comentário